quinta-feira, 30 de abril de 2009

Uma grande amizade na vida de um Malandro


Como ter palavras depois de receber um depoimento desses? Agradeço a Deus por um dia ter colocado esta especial amiga-irmã no meu caminho, e a meus Guias que nos protegem sempre.

Obrigado pelas linda palavras, minha amada irmãzinha.

Quero tornar pública a mensagem que ela me enviou:
Marcinho, meu amigo-irmão, meu bom malandro

Nada poderia ser mais a sua cara do que esse blog. E sabe como é a sua cara? É limpa. Transparente. Sem farsas. O "bom malandro" que nos diverte, nos faz rir, nos diz que a vida pode ser simples, alegre e descomplicada. E mais: que nessas simplicidades reside a essência de todas as 'cousas'. Há mais de dez anos, convivemos, trocamos histórias, confidências, nos ajudamos e nos aturamos. É incrível como, com esse seu jeito descomplicado e generoso de ser, você consegue me convencer, passando por cima de todos os filósofos que li, de todos os terapeutas que frequentei, de todos os (pseudo)intelectuais com quem convivi e convivo, que a vida vale a pena e que o mundo precisa mesmo é de amizade e afetos verdadeiros. Pobres daqueles que não conhecem isso.

Danem-se os literatas, os "winners", os escravos de clichês e das falsas aparências. A nudez da verdade é a chave do mundo. E nisso você é bom, muito bom. É PhD. A sinceridade é tudo. E nisso você é melhor ainda. Amigo leal, fiel, despojado, sempre disposto a estender a mão. Tão despojado e tão sem máscaras que chega a espantar aqueles que foram tragados por este mundo egocêntrico, onde as pessoas, por alguma pobreza de visão ou insegurança, só olham ao redor de si mesmas. Marcinho, você é uma "avis rara". Uma espécie em extinção. Eu diria que a sensibilidade é escassa em quem não é capaz de entender a importância da transparência num ser humano.
Este texto não tem a intenção de "encher sua bola". Até porque você não precisa disso. Apenas me deu vontade de lhe deixar este testemunho, como uma forma de reconhecimento a tudo o que fez por mim, desinteressadamente, de peito aberto. Eu, que achava ter aprendido tudo, nos livros e na vida, fui aprender com você como é bom viver sem máscaras! Você é grande, malandro! Muito mais do que pode imaginar. Ainda bem que teve a feliz ideia de criar um blog, tornando público o seu límpido ollhar (de azul de mar) sobre a vida e seus detalhes.

Verdade é, porém, que tem aquele seu outro lado "às vezes, eu viro bicho", do tipo: "Quando pisam nos calos do Malandro, sai de baixo!". Mas como, graças a Deus, ainda não fui alvo dessa faceta (e nem pretendo ser), não abordarei o tema aqui. Só posso dizer que quando o Malandro "vira bicho" é sempre por causa justa.


Que o "Diário de Um Malandro" continue bombando e seja lido por muitos!


Obrigada por tudo, meu irmãozinho. Fique com a minha amizade eterna.


Marcia



___________




OBS.: Mensagem e foto publicada com consentimento prévio da autora. Foto tirada em 2001

3 comentários:

Uma PROFESSORA apaixonada.... disse...

Como te disse hoje, é muito bom quando alguém capta a nossa essência de uma maneira tão linda, singela, e cheia de verdade como a tua amiga conseguiu... Lindo texto, emocionante ....
Bjs

marcia disse...

Que bom que você teve a sensibilidade de perceber, Professora. Esse malandro é um grande cara. E eu quero que ele seja muito feliz!

Bjs :*

Noemi Baptista disse...

É meu irmão tb! hahahaha
Gente finíssima que estava em um momento muito especial, meu casamento. Foi a primeira pessoa que estendeu a mão ao sair da porta e que me entregou ao meu pai (ou nosso?).
Que bom que vc voltou a nosso convívio.
Adorei o testemunho, muito bom quando as pessoas externalizam o que sentem para outra de forma verdadeira.
Beijos