quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Para a minha única "NONNA"




Graças a Deus, eu ainda tenho minhas avós, Tereza e Maria dos Anjos, vivas. Conto ainda com o carinho da minha vovó do coração Zilda. Mas NONNA eu só tive uma. E ontem ela partiu para um lugar melhor.
Quanto eu aprendi com essa senhora que caiu de paraquedas na minha vida, que nunca vi como uma sogra, mas como uma mãe. Até na hora de partir, mesmo com todo o seu sofrimento, partiu me ensinando.

Quanta saudade vou sentir de seus quitutes! Orgulho-me de ter sido seu herdeiro em muitas dessas receitas. Eram, sobretudo, receitas de amor.

Eu já sentia muita falta da "minha" NONNA, quando precisei me afastar de seu convívio diário. Sentia falta dos seus passinhos lentos no corredor; do barulhinho do leite que ela preparava pra Lillian às 15:00h - se isso era hora de acordar! hahaha; dos "gritos" - se é que se podia chamar aquilo de grito - com a Fada (a vira-lata safada); e até do "cocodrilo" que ela não conseguia pronunciar direito, não saia "crocodilo" de jeito nenhum.

Agradeço ao meu "amigo" por ter abreviado o sofrimento de minha Nonna, e por ter lhe permitido partir do jeito que sempre sonhou.

Tenho certeza que você agora está ao lado de seus amados, inclusive da mala da Fada.
A mim restou uma saudade enorme, com a qual conviverei até o último de meus dias, e as lembraças dos bons momentos que passamos juntos nesses 6 anos de uma sublime, afetuosa e intensa convivência.

Um beijo deste seu filho que sempre lhe quis muito bem.

Um comentário:

Lillian disse...

=´(
Tomara q ela tenha sido recebida por todos q ela queria! Ela merecia!

Q medo q eu tenho de sentir isso p/ sempre!

Brigada por tudo q vc fez p/ gente sempre, pelo seu carinho e atenção! Te amo mto!

Bjux