segunda-feira, 14 de setembro de 2009

A TEMPESTADE



Eu encaro as tempestades de peito aberto, sou Malandro e nada temo.





Ela chegou em minha vida como uma tempestade, com força e beleza incomuns... Assustadora e ao mesmo tempo tão doce... Bem sei que toda tempestade devasta e provoca estragos. Mas, por outro lado, também renova, nos faz reconstruir e rever velhos conceitos.

Isso ela fez por mim: quebrou vários paradigmas, preconceitos e traumas, em curto espaço de tempo. Assim é a tempestade, com seus ventos fortes, seus relâmpagos indomáveis e trovões estrondosos.

Quanto aos estragos, agora não adianta chorar. É levantar a cabeça e recontruir meu mundo, hoje um mundo diferente, graças a ela, com novos sonhos, novos objetivos, enfim, com uma nova vida. Mais adiante, sei que reencontrarei novamente dias ensolarados e mais pacíficos.
Nana, tivemos poucos momentos, mas foram momentos mágicos. E vou te guardar com carinho pra sempre.

Um comentário: