quinta-feira, 28 de maio de 2009

O mar que existe em mim

Uma das minhas paixões sempre foi o fundo do mar. Não podendo tê-lo, resolvi simulá-lo dentro de casa. Comecei bem cedo, com aproximadamente 14 anos, a me envolver com Aquariofilia. Com o tempo, os conhecimentos aumentavam e me acompanhavam.

Tive a ajuda de um saudoso amigo, que a vida tirou repentinamente do meu caminho, por conta de um tumor no cérebro - que Deus o guarde! Mas tudo que aprendi devo a ele. E nesta hora não poderia deixar de omitir seu nome, Antonio Baptista - o "Português", como era conhecido no meio. Por meio dele, conheci Domenico Giustino, o primeiro importador de peixes marinhos do país.

Com o apoio dessas duas feras, adquiri conhecimento bastante para trabalhar no ramo. Por alguns anos, inclusive, isso fez parte do meu sustento. Projetava e montava qualquer tipo de aquário. Mas gostava mesmo dos grandes. O maior que cuidei foi em Angra dos Reis, de 160.000 litros.

Meu último aquário era um sonho. Lindo. E me foi muito útil no quesito "atrair mulheres para a toca do Malandro". Era com esse pretexto que atraía minhas “presas”. Não havia quem não se encantasse com aquele pedacinho de fundo do mar.

O mar é a metáfora do mistério, da profundidade, da liberdade, da imensidão, da beleza verde-azul. E eu tenho o mar dentro de mim.

Abaixo, algumas fotos para ilustrar essa maravilha, que tantas saudades me traz.

Um comentário:

Uma PROFESSORA apaixonada.... disse...

É, vc tem o mar dentro de vc... até no nome.. MARcio,rsrsrsr... misterioso, profundo... e muito turbulento por vezes... rsrsrsrs mas mesmo assim o mar me fascina também...
beijos,
Lu